5 passos para pular corda como um profissional

Pular corda é um dos melhores exercícios para quem busca melhorar condicionamento físico, queimar gordura e/ou modelar a perna. A maioria dos esportes utiliza esta atividade como parte integrante da preparação física, devido à sua capacidade de melhorar tanto a agilidade como a movimentação de pés. Além disso, é ultra portátil, não custa caro e até uma criança de 4 anos consegue pular.

5dicas-pular-corda

Então, por que não há mais pessoas fazendo isso? Talvez o principal motivo seja falta de confiança e de compreensão de como fazê-lo. Não tenha medo, não há nenhuma razão para você perder os benefícios que esta atividade pode lhe proporcionar. Basta seguir estes 5 passos simples, e você logo estará pulando corda como um profissional.

1) A corda

Parece bastante simples, mas você ficaria surpreso com a quantidade de pessoas que pulam em cordas ruins. A corda ideal não precisa ser cara. A principal coisa a procurar é se a corda gira livremente dentro do pegador, pois se ela travar muito vai dificultar a continuidade dos saltos. Tente evitar cordas de pano, nylon, couro ou sisal, pois elas são geralmente muitos leves e não rodam bem. As melhores cordas são feitas de plástico e vinil. Outra coisa a verificar é o comprimento: Quando você estiver no meio da corda, pisando nela com os dois pés, os pegadores devem ficar na altura da sua axila. Cordas mais curtas são mais rápidas, enquanto cordas mais longas te darão mais liberdade para realizar movimentos “ousados”. Em alguns casos, você pode comprar uma corda longa e regular o comprimento dela em casa.

2) Ressalto

Para pular corretamente, você deve estar na ponta dos seus pés e os joelhos devem estar ligeiramente flexionados. Ao saltar, seus calcanhares nunca devem tocar o chão. Saltar com os pés chapados é muito prejudicial para seus joelhos e, por isso, você deve evitar. Não trave seus joelhos e lembre-se de relaxar, o salto deve tornar-se, com o tempo, um movimento contínuo e fluente.

5dicas-pular-corda2

3) Comece simples

Todo mundo gostaria de pular e impressionar de primeira. Porém, se você não se focar nos fundamentos, você sempre vai parecer um amador. A habilidade mais importante para o mestre é o salto. Toda manobra é construída a partir desta. Para executar corretamente o salto, você só deve estar saindo cerca de 1 a 1,5 centímetros do chão (afinal, sua corda não tem mais do que esta espessura) e você deve estar aterrissando suavemente na ponta de seus pés. Os cotovelos devem estar ao seu lado, próximos ao seu tronco, e a corda deve ser girada por seus pulsos e não por seus braços. Uma coisa comum para iniciantes é fazer saltos muito altos, puxando os calcanhares para trás, com os braços fazendo grandes círculos. Não tem problema começar assim, mas com o tempo o ideal é diminuir o seu salto e trazer seus braços para baixo antes de tentar quaisquer outras manobras. Pode demorar um pouco, mas vale a pena no final.

4) Superfície de contato

Em alguns casos, a dificuldade que você está tendo para conseguir pular corda não é culpa sua, é a zona de contato. Por exemplo: em um tapete, ou carpete, a corda irá quicar e você tem que saltar mais alto. Cada tipo de superfície tem suas próprias características e você deve estar ciente delas antes de começar a se exercitar. Se você puder escolher, um piso elevado de madeira é a melhor opção para suas articulações, além de que este tipo de piso pode dar uma impulsão a mais para o caso de querer girar a corda mais de uma vez no mesmo salto ou simplesmente saltar mais alto. Uma vez que nem sempre podemos escolher a superfície ideal, a melhor opção é encontrar uma superfície plana e não muito dura. Tente evitar concreto, pois ele não é bom para os joelhos e vai desgastar sua corda. Antes de começar em qualquer superfície, tente dar alguns saltos e preste atenção em como a corda bate no chão e desliza/quica. Depois que você experimentar alguns lugares diferentes, você vai começar a notar as diferenças.

5) A prática leva à perfeição

Evite pular simplesmente por pular. Concentre-se na biomecânica de cada movimento. Alguns podem ser um pouco estranhos num primeiro momento, mas se você praticá-los corretamente,  seu corpo irá introduzir isso em sua memória muscular e logo vai automatizar e se tornará algo simples. Em contrapartida, quanto mais você praticar algo sem se preocupar em fazer corretamente, maiores são seus riscos de automatizar um movimento errado, e mais tempo você levará para desaprender esse movimento. Muitas manobras levam tempo para aprender, vá com calma e se concentre na biomecânica. Se você não sabe como fazer algo, pergunte a alguém que sabe ou pegue um vídeo. Há uma infinidade de recursos disponíveis on-line de graça ou com um custo muito baixo.

Agora basta começar. Boa sorte!

Fonte (em inglês):

http://www.jumprm.com/fitness/?article=1

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: